Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

Eu sou ista... eu sou ego.. sou EGOÍSTA

Depois de tanto tempo sem postar, estou eu aqui... vomitando palavras pra resumir meu 2010. Nada do que aconteceu esse ano foi planejado, desde janeiro até dezembro... confesso que de começo tudo eram planos, tudo era certo, depois, minha vida virou um caos e eu ja não soube mais o que esperar dos dias. Tirei uma folga da vida, dos planos, me joguei no mundo, vivi um dia de cada vez, sem planos, sem nada certo. Vivi meu ano egoísta, meu tempo pra mim, e pasmem, AMEI. Quero mais anos egoístas, mais anos pensando em mim em primeiro lugar. Acho que nunca vivi tanto, como vivi em 2010, aproveitei cada dia, cada hora. Conheci tanta gente, reencontrei tanta gente, me comportei quando não deveria e aprontei quando não deveria. Tive meu melhor aniversário e o natal mais sóbrio de todos os tempos, confesso que chorei algumas vezes, mas nada por arrependimento, mas sim, pela falta dele. Descobri que melhor amigo tem dois significados e que tenho 2 amigos pra suprir cada significado. Que melhor amig…

As crônicas da Margarida

"Não sei há quantos dias ando nisto, sempre ouvi dizer que o amor faz dos estúpidos inteligentes e torna as pessoas inteligentes em estúpidas, mas sinto-me cada vez mais idiota, estupidamente idiota, mergulhado numa espécie de estado de graça quase divina, como se ser feliz também fosse não querer saber de nada, não me importar com coisa nenhuma, não ser nunca mais obrigado a pensar em nada, só sentir e amar e amar e sentir.
Não sei há quantos dias ando nisto, quando se perde a cabeça - devia era dizer-se quando se perde o coração, porque é este que primeiro se parte, se desfaz, se transforma numa massa qualquer sem forma que faz todo o sentido - perde-se a noção do tempo e do espaço, os dias são intermináveis até que a tua presença os apazigua, a casa fica enorme e vazia na tua ausência e as árvores só dançam quando já chegaste para me encher a sala, a mesa, a cama e então estás em todo o lado, és os objectos e os sons que me cercam e me embalam, como se o mundo exi…